segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Ligações de telefone fixo para móvel ficarão até 22% mais baratas

COM as notícias de que a telefonia fixa pode ficar mais barata no Brasil, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) confirmou ainda essa semana (27), que ligações locais e interurbanas feitas de telefone fixo para móvel estão mais baratas. O motivo dessa baixa é a redução dos valores de referência para tarifas de remuneração de redes móveis determinada pela própria Anatel.
Tal redução é consequência do Plano Geral de Metas de Competição da Anatel e abrange chamadas da telefonia fixa para celular (locais ou de longa distância) originadas nas redes de telefonia fixa Oi (Telemar e Brasil Telecom), Telefônica, CTBC/Algar, Claro/Embratel e Sercomtel. O usuário de telefone fixo pagará o mesmo valor para uma chamada local, independente da operadora móvel de destino.
A redução nas tarifas das chamadas fixo-móvel local ficou entre 14,95% a 22,35%, dependendo da operadora de origem da chamada. Se baseando nisto, o quadro de preços seria:
  • Telefônica Brasil S.A. - 14,95%
  • Sercomtel - 17,80%
  • Brasil Telecom S.A. - 18,52%
  • Algar Telecom - 19,25%
  • Telemar Norte Leste S.A. - 22,35%

Nas chamadas de fixo para móvel em que os DDDs dos telefones de origem e de destino da ligação tem apenas o primeiro dígito igual (DDD 41 e 47, por exemplo) haverá redução entre 9,15% a 14,04%.
Nesse caso:
  • Telefônica Brasil S.A. - 9,15%
  • Brasil Telecom S.A - 9,79%
  • Claro S.A. - 9,91%
  • Sercomtel - 10,38%
  • Telemar Norte Leste S.A. - 13,06%
  • Algar Telecom - 14,04%
Nas ligações em que os primeiro dígitos dos DDDs do telefone fixo e do telefone móvel são diferentes, a redução será entre 7,73% a 11,80%.
Neste caso as reduções seriam:
  • Telefônica Brasil S.A. - 7,73%
  • Brasil Telecom S.A - 8,32%
  • Claro S.A. - 8,37%
  • Sercomtel - 8,86%
  • Telemar Norte Leste S.A. - 11,05%
  • Algar Telecom - 11,80%
Com essa unificação, haverá apenas uma única tarifa para as ligações fixo-móvel.
A telefonia fixa agora é considerada um serviço público (assim como emissoras de televisão), havendo a necessidade de concessão por parte do governo. Mas tal mudança só deve ser aprovada por motivo da desvalorização da telefonia fixa em relação aos dispositivos móveis, planos de internet, aplicativos de ligações gratuitas e mensagens.

O decreto para a baixa no valor ainda está em produção pelos ministérios das Comunicações e da Fazenda junto com a Anatel. 
Share:

0 comentários:

Postar um comentário